sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Enquanto isso no Brasil... Curto Circuito!

Apesar da tão conferida segurança da economia brasileira em meio à crise financeira, o país tem o coração na mão. Os circuit breakers e as quedas bruscas voltaram a dar lugar ao caos. O dinheiro anda em pleno vendaval, levando o mundo à insanidade. Enquanto isso, nosso caro Lula tenta amenizar a condição mundial com panos quentes, levando a tal segurança para as mentes e os bolsos da população. O papel do presidente nessa ocasião, em suas palavras, é passar serenidade para a sociedade (?). Talvez não haja realmente muito mais o que fazer fora isso. Mas serenidade para quê? Para que o povo continue acreditando no Brasil? Arrisco dizer que se depois de tudo a população ainda não abandonou o barco (e ainda tem a coragem de mandar a D. Marta para o segundo turno), é porque alguma coisa o Luizinho tem feito certo! E se serenidade é a melhor ferramenta que ele tem em mãos, vamos considerá-la. A crise pode custar a soprar por aqui, e sim, o país está blindado. Mas somente até certo ponto.

E lá vamos nós ao segundo turno. Todos prontos? Apertem os cintos: alguns Estados podem cair. Certos resultados eram mais do que esperados, mas o elemento surpresa ainda foi o melhor da festa. A primeira etapa das eleições para prefeitos e vereadores nos quatro cantos do país provou que a pesquisa de intenções de voto não passa de uma palhaçada. Alckmin deu lugar à reeleição do homem da Cidade Limpa, que enfrenta a petista ‘relaxa e goza’ no final de outubro. Paes e Gabeira disputam o Cristo Redentor enquanto Lacerda e Quintão vão para o cabo-de-guerra em BH. O PT, não satisfeito em chefiar o país, fica com seis capitais nessa brincadeira de 1º turno. E eu não digo mais nada.

Vamos às boas novas. O Brasil tem tomado partido e se posicionado melhor em relação ao meio-ambiente. Manaus e São Paulo serviram como palco para a realização de dois festivais em nome da sustentabilidade. Com as mais variadas propostas, o About Us promoveu o incentivo à reciclagem e o aproveitamento consciente do planeta. E falando em planeta, a educação agora vai funcionar por toda a parte. José Serra criou a Universidade Virtual do Estado de São Paulo, a Univesp. Apesar do admitido pé-atrás do governador paulista em relação ao programa, serão mais seis mil vagas para estudantes e isso é sempre uma boa coisa, não? E o IBGE divulgou as 12 cidades mais influentes no nosso país. São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília comandaram a lista, seguidos por Manaus, Belém e Fortaleza. Mas acredito que influência seja uma questão relativa e subjetiva. Afinal, quem encabeça esta lista é um dos exemplos de maior ignorância política já vista por aqui. No final das contas, Sr. Presidente, serenidade é justamente a palavra-chave para evitar o curto-circuito brasileiro.
Esta crônica foi publicada dia 16 de outubro, no jornal americano NOSSA GENTE, em sua 19ª edição. Jornal dedicado à comunidade brasileira que reside na Flórida - Estados Unidos. Faço parte do grupo de colaboradores do jornal e assino a coluna ENQUANTO ISSO NO BRASIL. Assim, aos poucos, vou me realizando. As realizações vêm aos poucos...e na medida certa.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Bate-papo com Dave Matthews

Material divulgado em CLAUDIA, no dia 03/10/2008

Confira trechos da entrevista abaixo e o vídeo com a entrevista completa no final deste post

Em breve passagem pelo Brasil, o líder da banda norte-americana Dave Matthews Band provou que sua legião de fãs brasileiros é poderosa. Com um público na faixa dos 30 anos, Dave Matthews e sua banda se apresentaram em Manaus, São Paulo e Rio de Janeiro no mês de setembro. Os shows não duraram menos de duas horas e meia e levaram as pessoas ao delírio.

Com uma proposta bem diferente, eles ensaiam um estilo musical conhecido como folk rock. A mescla dos sons de violino, saxofone e flauta com os de guitarra, bateria e baixo são traços característicos do grupo. Dave Matthews conquistou o público com seu trabalho na década de 90 com os sucessos Crash into me e #41, entre tantos outros. Desde então, é inspiração para grandes músicos internacionais. A banda já lançou mais de 30 CDs, incluindo os álbuns gravados ao vivo.

Dave é sul-africano e dono de uma voz inconfundível. Ele já foi considerado um dos homens mais charmosos da America e bateu um papo com o CLAUDIA no qual revelou que sua maior inspiração são as mulheres.

CLAUDIA: O Brasil esperou sete anos pelo retorno da banda, desde a participação no Rock ‘n Rio, em 2001. Como foi estar de volta?

Dave Matthews: Eu adoro o Brasil. Nunca imaginei que tivéssemos tantos fãs por aqui e me surpreendi quando milhares de pessoas cantaram comigo as minhas músicas. As noites de show foram divertidas e animadas, não queria sair do palco. O Brasil não pôde ficar de fora quando decidimos trazer a turnê para a América do Sul.

CLAUDIA: Você foi eleito um dos homens mais charmosos da America.

Dave Matthews: Quem disse isso?! Bom, o que posso dizer? Sou realmente charmoso (risos). Mas preciso ouvir isso de mais pessoas, para saber se é verdade. Será que as mulheres de CLAUDIA acham isso?

CLAUDIA: As suas músicas falam muito sobre amor - todas as formas dele. Já que você é o responsável pela criação da maioria das músicas, qual é sua fonte de inspiração?

Dave Matthews: Sou um homem que sabe se apaixonar. Conheci e senti diferentes tipos de amor. Mesclo minha realidade com a idealização de um sentimento perfeito. Acredito que a dor é, também, uma ótima fonte de inspiração. A verdade é que idolatro as mulheres, sou apaixonado por elas. Essa adoração me incentiva a criar.

CLAUDIA: Quais os planos da Dave Matthews Band para o futuro?

Dave Matthews: Recentemente, nosso saxofonista e amigo, LeRoi Moore, faleceu. O trabalho fica mais doloroso. Mas depois da turnê, voltaremos ao estúdio para gravar mais um CD, que deve ser lançado no começo do ano que vem. Como é um trabalho feito em grupo, ele fará muita falta.


Andrezza Duarte

video

"Amazing what a minute can do" - Dave Matthews

As mirabolantes voltas que o mundo ensaia para dar sentido à vida são engraçadas. Tive algumas provas disso durante minha curta existência e posso afirmar que saber esperar pelas coisas é uma arte. Entender quando algo não flui como deveria (ou como você acha que deveria), não se frustrar quando seus planos deram errado e saber que tudo tem sua hora (e tem mesmo) é fundamental para o desenvolvimento de sua fé e do seu crescimento. Não é segredo para ninguém minha adoração pela banda Dave Matthews Band. Acompanho o trabalho desses meninos há vários anos e, cada vez mais, me encanto com as letras, com a combinação de sons, com a magia e harmonia que sinto cada vez que ouço qualquer música. Fissura? Idolatria? Fixação? Obsessão? Claro. To say the least. Uma admiração à distância - hoje já não tão distante assim - que me manteve viva e que conservou intensa a eterna idealização do amor.

Vou pular todas as etapas que me levaram até ele e ir diretamente ao dia:

Estava sentada no backstage do local onde eles se apresentariam aquela noite ao lado das pessoas mais adequadas para viverem aquele momento comigo. Pessoas que também estavam com o coração na mão simplesmente pela proximidade da realização de um sonho. Distraídos e sem muitas palavras sendo trocadas pelo nervosismo, ouvimos o som de um saxofone rasgar o silêncio - o suficiente para disparar enlouquecidamente nossos corações. Logo, o som de um violino. E finalmente, a voz dele. DELE. Pedi para me beliscarem, acreditem. Esqueci o profissionalismo e corri em direção à música. Estávamos na altura do mezanino da casa de shows então olhamos para baixo, ao palco, e lá estavam eles: Boyd, Carter, Jeff, Stefan and my good friend, Dave Matthews. Essa parte dispensa detalhes, mas sim, assistimos a passagem de som da banda ao som de Say goodbye e Stay or leave - algo raro, raríssimo.

Não tive tempo de recuperar o ar e logo me chamaram para uma sala pequena de reuniões. Pela janela, avistei toda a imprensa à espera na porta da casa. E eu lá dentro, há minutos de viver a minha maior realização pessoal e profissional. Com um sorriso tímido, mas sempre simpático, ele se apresentou “Hello, I’m Dave Matthews”. E foi assim que começou os melhores 15 minutos da minha vida.


Confira no post acima, a entrevista publicada em CLAUDIA.

Andrezza Duarte

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Música pela sustentabilidade

O festival About Us deu uma verdadeira aula sobre Sustentabilidade no último domingo, 28 de setembro. O evento, que reuniu mais de 40 mil pessoas na Chácara do Jockey, em São Paulo, abordou o tema com muita cultura e entretenimento. Foram montadas tendas por todo o local com as mais variadas propostas, como a reciclagem de bitucas de cigarro, a triagem de todo o lixo produzido no evento e oficinas de arte. Os shows de música foram marcados por personalidades nacionais e internacionais que levaram o público ao delírio. As atividades visaram a conscientização sobre a importância de cada indivíduo na luta pelo meio ambiente.

Por uma boa causa
Uma das novidades apresentadas foi a transformação de pontas de cigarro em papel. Foi instalado um grande depositório para os restos de cigarro, no qual as pessoas puderam esvaziar os ‘porta-bitucas’ distribuídos no evento. A interatividade da programação serviu como incentivo para tratar o conceito sustentável de maneira leve e dinâmica. O festival não deixou de lado o tema da poluição: para os carros que levavam mais de quatro pessoas, o valor do estacionamento era reduzido em 30%. Quem optasse pela bicicleta como meio de transporte, tinha tratamento preferencial. Quem cooperou, saiu ganhando.

Cantando por um mundo melhor
O entretenimento, pano de fundo do projeto, ficou em boas mãos: o grupo Afro Lata/ Mangue abriu a tarde de espetáculos dando as boas-vindas ao público. O dia seguiu com as atrações nacionais NX Zero, Seu Jorge e Vanessa da Mata. O show do músico internacional, Ben Harper, foi um dos mais aguardados da noite. Ele, que cantou a música “Boa Sorte” ao lado de Vanessa, atraiu ainda mais pessoas ao evento. Porém, a glória do About Us ficou reservada para a banda norte americana Dave Matthews Band, que estendeu o show a pedido do público.

About Us
O festival foi realizado também em Manaus, no dia 26 de setembro. A organização e pontualidade marcaram os dois dias de evento e proporcionaram tranqüilidade e conforto às pessoas presentes. Famílias, casais e amigos puderam curtir uma boa música rodeados por iniciativas fundamentais para a preservação do meio ambiente.

Andrezza Duarte
Foto, Andrezza Duarte